Grandes Paixões

 

                                                                      

       Romeu e Julieta

Esta história aparece contada na obra "Romeu e Julieta" de William Shakespeare, autor Inglês.

A história inicia-se  numa rua de Verona, os Montéquio confrontam-se com os Capuletos. A rixa é interrompida por Escalo, príncipe de Verona, que declara morte aos chefes de ambas as famílias, caso eles não terminem com aquela luta.

 Mais tarde, Páris, um jovem nobre, pede em casamento ao Sr. Capuleto a sua filha de catorze anos, Julieta. O Sr. Capuleto convida-o para uma festa que haverá naquela noite, na qual ele terá a oportunidade de atrair a atenção de Julieta.

Enquanto isso, Benvólio, sobrinho do Sr. Montéquio, conversa com seu primo Romeu. Descobre que o primo anda triste e apaixonado por uma garota chamada Rosalina. Após grande insistência de Benvólio e de seu outro amigo Mercúcio, Romeu decide assistir à festa de máscaras na casa dos Capuletos, na esperança de se encontrar com Rosalina. Romeu assiste à festa como planeado, até que ao ver Julieta apaixona-se. Julieta apaixona-se completamente por ele também. Os dois trocam pequenas palavras. Romeu, arriscando sua vida, permanece no jardim dos Capuletos após o término da festa, e na famosa cena do terraço, os dois declaram o amor que um sente pelo outro e decidem ficar  juntos em segredo. No dia seguinte, Frei Lourenço decide casá-los, para também promover a paz entre ambas as famílias.

No entanto, algo perigoso acontece: Tebaldo, primo de Julieta, de temperamento desafiador, reúne Romeu e tenta provocá-lo para um duelo de espadas. Romeu recusa-se, mas Mercúcio aceita em seu lugar. Depois de um pequeno confronto, Mercúcio morre e Romeu, furioso com a morte do amigo, confronta-se com Tebaldo; este morre. Benvólio então grita para Romeu fugir e este fá-lo desesperadamente. O príncipe declara punição a Romeu. Deixa-o viver, embora resolva  mandá-lo sair para sempre de Verona. Nessa altura, Julieta recebe a notícia dos acontecimentos e mantém-se completamente apaixonada pelo marido. A ama de Julieta, uma carinhosa mulher, conversa com ela e nestes diálogos fica claro o seu amor  por Romeu.
Julieta pede à ama que entregue a Romeu um anel, como prova de seus sinceros sentimentos. E, mesmo correndo riscos, leva o recado que Romeu precisa - vir encontrar-se com ela à noite. Ao receber o anel, Romeu diz sentir o seu coração mais fortalecido. De facto, Romeu e Julieta passam a noite apaixonadamente juntos.

Romeu parte para Mântua. Os Senhores Capuletos resolvem casar Julieta com o Conde Páris. O desespero de Julieta faz com que ela se encontre com o Frei Lourenço e ele resolve ajudá-la. Diz para aceitar o casamento apenas para despistar os pais. Julieta recebe um frasco de elixir para simular uma suposta morte. Tomando o conteúdo do frasco, a sua família acreditaria na sua morte, o casamento com Páris não aconteceria e Frei Lourenço, através de uma carta, falaria com Romeu para que ele voltasse. Dessa forma, os dois poderiam ficar juntos e até provavelmente fugir em segredo.

O que seria um plano perfeito transforma-se numa sucessão de tragédias: a carta acaba por ser extraviada. Romeu recebe a notícia da morte da amada, angustia-se e compra um veneno para suicidar-se também. O jovem volta a Verona e toma o remédio diante do corpo de sua amada, morrendo junto a ela.

Quando Julieta acorda, o horror torna-se ainda maior. O seu desespero é grande e igual ao de quando Romeu pensou que ela estivesse realmente morta e, com o intuito de morrer ao seu lado, procura alguma gota de veneno em seus lábios. Sem saída, as mãos de Julieta apoderam-se de um punhal de Romeu e ela apunhala-se, caindo junto ao  corpo do amado.

As famílias Montéquio e Capuleto perdoam-se mutuamente logo após a descoberta do relacionamento amoroso e trágico de seus filhos, e a paz é mantida em nome do amor dos dois.

 

  

Clica num dos títulos!

 

Índice