Grandes Paixões

 

                                                                      

       SIMÃO e TERESA

A História de Simão e Teresa aparece contada na obra “Amor de Perdição” de Camilo Castelo Branco.

Em traços gerais resume-se no seguinte: No meio de tanta tragédia, Simão ainda preso no Porto toma conhecimento que seu fiel amigo João da Cruz havia sido assassinado. Mariana, sem ter mais ninguém por ela, resolve acompanhar Simão no desterro. Essa situação cria no coração da jovem Mariana a ideia de concretizar o seu amor por Simão.

Simão é condenado a ficar dez anos na Índia. Enquanto para Mariana o degredo é sinónimo de esperança, para Simão, a Índia é sinónimo de humilhação e miséria.

Teresa começa a ter a sua saúde abalada. Definha cada vez mais, triste e muito magoada., a linda fidalga parece ter perdido a vontade de viver. O seu fim aproxima-se e recusa-se a evitá-lo.

Ao seguir rumo à Índia, Simão contempla Monchique e vê, pela última vez no mirante do convento, a mulher que fora responsável por tudo aquilo. Também Teresa contempla o navio que levava o seu amado. Logo após, Teresa morre. Simão aguarda algumas cartas de Teresa, seu corpo vai sendo consumido pela morte.

Alguns dias após a viagem, Simão morre vitimado pela febre. Mariana não resiste à perda do amado, rompe o silêncio com gritos que saem do mais fundo do seu coração. Quando percebe que seria impossível viver sem a presença de Simão, a filha do ferreiro entrega-se às revoltas águas do mar, as quais já haviam recebido o corpo de Simão. O suicídio de Mariana marca o fim da trágica história dos  Botelho e dos Albuquerque.

Segundo Camilo Castelo Branco, essa é uma obra de ficção baseada na história real de seu tio paterno Simão António Botelho.

 

Clica num dos títulos!