Grandes Paixões

 

                                                                       

 Adão e Eva

        A Historicidade de Adão e Eva

Diz o erudito da bíblia Gleason L. Archer que “Nenhuma objecção decisiva tem sido levantada contra a historicidade de Adão e Eva, em bases históricas, científicas ou filosóficas. O protesto tem sido baseado essencialmente em conceitos subjectivos de improbabilidade” ou seja, tudo parte dos pressupostos do investigador, se o tal não crê em Deus e consequentemente nos milagres, para ele torna-se impossível a narrativa de Génesis. Archer prossegue dizendo: “Do ponto de vista da lógica é impossível aceitar a autoridade da afirmação retirada de in Romanos 5 (“Por um só homem entrou o pecado no mundo…Pela ofensa de um, e por meio de um só, reinou a morte… Pela desobediência de um só homem muitos se tornaram pecadores”) sem aceitar a inferência que a raça humana inteira advém de um único progenitor. In Romanos 5  há um contraste entre Adão e Cristo. Se Cristo era um indivíduo histórico, Adão também o era (Se não o apóstolo inspirado estava errado). Semelhantemente, Paulo aceita os detalhes de Génesis 2, e os da tentação e da queda em Génesis 3, como sendo história literal.

Diz Timóteo: “Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi iludido, mas a mulher sendo enganada caiu em transgressão”

E mais, “Aqui o registo inspirado fala dum Adão e duma Eva literais, e não dá a mínima impressão que a narrativa seja mitológica na sua intenção. Certamente Cristo e os Apóstolos receberam-na como sendo história verdadeira.”

Possivelmente a alusão a uma serpente de que se fala poderá ter surgido de um mito. Nesse caso declara ainda o erudito: ”Mas tanto o contexto como as demais referências nas escrituras, a antiga serpente é o diabo, Satanás”, deixando claro que a serpente era apenas um disfarce através do qual o Tentador falou. Nesse réptil Satanás achou um veículo apropriado para fazer sugestões. Semelhantemente, o asno de Balão era o veículo através do qual o Senhor falou para seu servo desobediente.”

Norman Geisler reflecte o mesmo pensamento e acrescenta que: ”A existência e a queda de Adão tão pouco podem ser um mito. Se não tivesse havido literalmente um Adão, e se não tivesse havido de facto a queda, então o ensaio espiritual quanto ao pecado herdado e quanto à morte física, dele decorrente, estaria errado. A realidade histórica e a doutrina teológica juntas permanecem ou juntas caem por terra.

Além disso, a doutrina da encarnação é inseparável da verdade histórica de Jesus de Nazaré. E ainda, o ensaio de carácter moral de Jesus quanto ao casamento baseou-se no que ensinou quando disse que Deus juntou literalmente um Adão e uma Eva em matrimónio. Em cada um destes casos, o ensaio moral e o teológico perdem totalmente o sentido se desconsiderado o evento histórico e factual.” Então conclui-se: ”Negando-se que aquele evento ocorreu literalmente no tempo e no espaço, fica-se então sem uma base para crer na doutrina bíblica construída sobre ele.”

A questão é tão séria que um ateu comentou: ”Destruam-se Adão e Eva e o pecado original, e nos escombros se encontrarão os restos mortais do Filho de Deus, eliminando-se assim qualquer significado de morte”.

 

Dificuldades Insuperáveis

Adão

        Nome do primeiro homem, criado à imagem de Deus, segundo o relato bíblico do Génesis. A sua esposa foi Eva e deles procede o género humano.

Eva

        Na Bíblia, Eva é a esposa de Adão e a primeira mulher, criada por Deus porque Adão precisava de uma companheira. Segundo uma das histórias contidas no Livro do Génesis, foi criada a partir de uma costela do próprio Adão. Foi tentada pela serpente e comeu o fruto proibido, símbolo do conhecimento do Bem e do Mal. Depois de o dar a comer a Adão, foram ambos expulsos do Paraíso.

Clica num dos títulos!