8ºano

Chat

índex

Blogue

9ºano

 

Glossário da Língua Portuguesa

 

Em construção    Em construção

Índice

A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V  - X - Z

 

A


 

Ação - Sucessão de acontecimentos que se relacionam entre si e se encaminham ou não para um desfecho ou desenlace.


 

Ato - Divisão de uma peça de teatro que decorre num espaço (cenário) determinado (muda o cenário quando começa um novo ato).


 

Alternância  - Técnica narrativa que consiste em contar duas ou mais histórias alternadamente (ora uma ora outra).


 

Analepse - Processo narrativo que consiste na narração de factos considerados anteriores relativamente ao decorrer da ação (flashback).


 

Antónimo

Palavra cujo significado é oposto ao de outra palavra. Palavra cujo sentido é oposto ao de outra num determinado contexto.

O João é um aluno aplicado. / O António é um aluno preguiçoso.


 

Aparte

Palavras ditas por uma personagem que se destinam a ser ouvidas só pelo público, dando a entender que as outras personagens em cena não as ouvem.


 

Arcaísmo

Palavra que caiu em desuso na linguagem, porque foi substituída por outra palavra ou porque o objeto ou conceito que representava desapareceu.


 

Assunto

Concretização do tema num determinado texto ou, em linhas gerais, aquilo de que trata o texto.


 

Auto  - (latim: actu = ação, ato) - composição medieval da literatura dramática, de linguagem simples, tem elementos cómicos e intenção moralizadora. As personagens simbolizam as virtudes, os pecados, ou representam anjos, demónios e santos. Visava satirizar pessoas, a moral é um elemento decisivo neste tipo de texto.


 

Adjetivação dupla  -Atribuição de dois adjetivos ao mesmo substantivo, precisando o seu significado.


 

  Aférese   - Processo fonológico  que consiste na supressão de um fonema no início da palavra.


 

 Alegoria  - É um recurso expressivo que consiste na representação de uma realidade abstrata através de uma realidade concreta, por meio de analogias, metáforas, imagens e comparações, trata-se de uma representação simbólica


 

  Aliteração   - Este recurso que consiste na repetição dos mesmos sons consonânticos (consoantes) para acentuar algo.


 

Anáfora

É uma recurso expressivo que consiste em repetir a mesma palavra no princípio de várias frases


 

Analepse

Narração de eventos ocorridos anteriormente em relação a eventos já narrados; recuo no tempo.


 

Analogia

Relação de semelhança entre objetos diferentes, quer por motivo de semelhança, quer por motivo de dependência causal


 

Apócope

Fenómeno fonológico de supressão de fonema no final de palavra.


 

Apóstrofe

É um recurso expressivo pelo qual o orador invoca uma pessoa, um objeto, uma entidade, presente ou ausente.


 

Assonância

Esta recurso consiste na repetição dos mesmos sons vocálicos (vogais) para acentuar algo.


 

Autodiegético

Aplica-se esta designação ao narrador da história que a relata como sendo seu protagonista, quase sempre no decurso de narrativas de carácter autobiográfico. Distingue-se do narrador homodiegético e do narrador heterodiegético.


 

Adjetivo - Classe de palavras que atribuem uma qualidade a um nome. Concordam com o nome em género e em número e variam em grau.

                        Está um dia lindo!


 Agente da passiva  - Complemento associado ao predicado de uma oração na voz passiva que indica o responsável pela ação praticada.

                        Muito peixe foi capturado por estes pescadores.

                                                                            (Frase na voz ativa: Estes pescadores capturaram muito peixe.)

 


 Apreciação crítica -  Manifestação de uma opinião sobre um assunto, sustentada por argumentos. A opinião é normalmente constituída por juízos de valor, ou seja, afirmações que depois são justificadas.


 Argumento  - Comprovação de uma afirmação. Afirmação: Este filme é extraordinário.

Argumentos: O enredo capta constantemente a nossa atenção. Os acontecimentos transportam-nos para um mundo hilariante. Os ambientes encantam pelo colorido e imagens sugestivas.


 Aspas  - Sinal de pontuação que, habitualmente, marca uma transcrição. Pode também demarcar o discurso direto de uma personagem e o uso específico de uma determinada palavra.

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif


 

 

B

 

Biografia  - Texto que relata a vida de uma pessoa, respeitando a ordem cronológica.


 

TopoDescrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

C

 Campo lexical  - Conjunto de termos (verbos, nomes, adjetivos, advérbios) que se relacionam com um mesmo tema, isto é, que se integram numa determinada área vocabular. Conjunto de palavras que remetem para uma determinada realidade concreta ou abstrata.

(realidade concreta) praia: sol, água, areia, banho, bola, jogo, banheiro

(realidade abstrata) sofrimento: dor; lágrimas, angústia, luto, grito

O campo lexical de uma palavra é um conjunto de palavras que, associadas entre si, remetem para um domínio da realidade, ou representam uma determinada noção.

Forma-se um campo lexical agrupando as palavras que, num dado contexto, determinam uma área de significação.

Apresenta-se como exemplo um conjunto de palavras agrupadas segundo os quatro elementos da natureza.

 

Campo lexical de

 

TERRA:

ÁGUA:

FOGO:

AR:

Solo, chão, serra, montanha, planície... mar…

Fonte, rio, lago, nascente...

Calor, brasa, sol

Céu, estrela, planeta, sopro...

 

Um campo lexical pode interpenetrar-se com outro e completar-se:

 

 Campo lexical de

 

 

SOLO:

MAR:

SOL:

CÉU:

Semente, trigo, erva...

Barco, navio, areia, praia, marinheiro...

Luz, claridade, transparência, amarelo...

Azul, infinito…

 

Campo lexical de

 

INFORMÁTICA:

Computador, impressora, rato, vírus, monitor, pesquisa, portátil, monitor...

 


 

CAMPO SEMÂNTICO - Considera-se o campo semântico de uma palavra os diferentes significados que essa palavra adquire de acordo com o contexto em que está integrada.

    Estive toda a tarde de pé.

    Isso foi o para não chegar a horas. O é uma unidade de comprimento.

A palavra significa «parte terminal dos membros inferiores» e, por extensão de sentido, adquire outros significados em determinados contextos.

    Nas frases que se seguem:

        O coração é um órgão vital. Ele tem bom coração. Guiou-se pelo coração e não pela razão. O coração da cidade. Falou com o coração nas mãos.

A palavra coração, que significa órgão central da circulação passou a significar sentimento, afetividade, amor, centro, sinceridade.

O conjunto de significados que uma palavra pode ter em diferentes contextos constitui, pois, o campo semântico dessa palavra.

 

Nota: A designação de campo semântico é utilizada frequentemente com o significado de campo lexical. Convém, no entanto, distingui-los, pois o campo semântico é mais vasto e abrangente, enquanto o campo lexical envolve apenas conjuntos de vocábulos.

 


 

Carta de reclamação - Carta que serve para reclamarmos ou protestarmos sempre que nos consideremos vítimas ou testemunhas de uma injustiça.

 

Carta pessoal  - Conversa, por escrito, com uma pessoa ausente (familiar ou amigo).


 

Cena  - Pequena sequência de uma peça de teatro, marcada pela entrada ou saída de uma personagem.


 

Coesão textual -  Relação estabelecida por meios linguísticos, quer entre os elementos da frase quer entre frases ou partes (períodos ou parágrafos) do mesmo texto.

Num texto aparecem elementos linguísticos que estabelecem a ligação das suas várias partes.

Processos de coesão textual: repetição de um nome ao longo de um texto; substituição de um nome por outros que também referenciem essa realidade (Maria, rapariga, filha, para designar a mesma pessoa); substituição de um nome por um pronome; substituição de hipónimos pelo seu hiperónimo (fruta substitui peras, maçãs, laranjas, ...); utilização de sinónimos (terra, aldeia, lugar, freguesia); emprego de conectores (apesar de, deste modo, por outro lado, concluindo).


 

Cómico  - Recurso ao ridículo, resultante de uma coincidência, de um contraste, de um desajuste, comportamental ou situacional, que provoca o riso. Tem muitas vezes uma intenção crítica e moralizadora. Tipos de cómico: cómico de situação, cómico de carácter e de linguagem.


 

Composição - Processo de formação de palavras que consiste na associação de radicais ou de duas, ou mais, palavras.

   Composição morfológica - associação de dois ou mais radicais ou de um radical e de uma palavra. Ex.: herbívoro > radical (herb) + vogal de ligação (i) + radical (voro)

                                                                                                                                                                           luso-descendente > radical (lus) + vogal de ligação (o) + palavra (descendente)           Composição morfossintática - consiste na associação de duas ou mais palavras. Ex.: homem-aranha, trabalhador-estudante, tira-nódoas


 

Conector  - Palavra que permite ligar uma oração/ideia a outra ou  frases  (conectores: conjunções coordenativas, conjunções subordinativas e alguns advérbios e locuções adverbiais).

 



 

Conjugação pronominal  - Forma especial de conjugação em que as formas verbais são acompanhadas de pronomes.

 


 

Conotação e Denotação  - Só no contexto de uma frase as palavras adquirem significado, pois este altera-se em conformidade com a situação de comunicação.

Denotação e conotação são conceitos que se referem ao significado das palavras em determinados contextos.

A denotação de uma palavra é o nome que designa o seu significado normal, corrente, mais usual.

A conotação é o nome dado às diferentes possibilidades de significação que um sujeito falante pode incluir ou sugerir no seu discurso. A conotação de uma palavra engloba os valores particulares que são acrescentados ao seu significado normal e corrente.

 

No conjunto de enunciados que se produzem diariamente, o locutor pode selecionar e usar uma palavra ou expressão que, por associação de sentido, adquire um novo valor semântico, de acordo com o contexto e a realidade a exprimir.

A conotação de uma palavra depende, pois, da riqueza subjetiva e afetiva dos interlocutores.

 

«A névoa desfez-se e a ponta de Sagres é um colosso duro e negro. A este panorama falta-lhe talvez encanto. Está ali -está ali para sempre a duas ou três tintas cruas, azul, vermelho e negro. É decorativo -mas decorativo como um cenário. As meias tintas é escusado procurá-las. Nunca lhe chega a hora melancólica em que a paisagem do norte empalidece e desmaia como quem vai morrer. É imenso -vermelho e negro; é duro -vermelho e negro.»

RAUL BRANDÃO, Os Pescadores

 

 

No texto surgem os termos "azul, vermelho e negro."

Qualquer dos termos, que em sentido denotativo referem as cores, de significado corrente para todos, por conotação adquirem novos significados.

O vocábulo azul pode associar-se a céu, pureza, suavidade.

O vocábulo vermelho pode evocar sangue, paixão, dramatismo, desespero.

O vocábulo negro pode sugerir luto, tristeza, morte.

NEGRO

Sentido Denotativo

 

Sentido Conotativo

Cor escura

 

Luto, tristeza, morte

Linguagem informativa

 

Linguagem expressiva, afetiva

 

Os textos literários utilizam com frequência a conotação.

Os textos científicos e jornalísticos utilizam com mais frequência a denotação.

DENOTAÇÃO  - Sentido estável, fixo, da palavra com que se designa o objeto para o qual remete o significante Este sentido é o mesmo independentemente do contexto em que a palavra se integra

CONOTAÇÃO - Conjunto de significações secundárias que se associam ao sentido fixo de uma palavra., ao sentido denotativo


    COMPLEMENTO DIRETO - função sintática desempenhada por um grupo nominal selecionado pelo verbo e que pode ser substituído pelo pronome pessoal átono -o;

a; -os; -as. Ex.: A bailarina tinha uma saia cor-de-rosa. A bailarina tinha-a.

 

    COMPLEMENTO INDIRETO - função sintática desempenhada por um grupo preposicional selecionado pelo verbo e que pode ser substituído pelo pronome pessoal     átono -lhe; -lhes.

Ex.: A tia mais nova ofereceu a bailarina ao Gustavo. A tia mais nova ofereceu-lhe a bailarina.

 

COMPLEMENTO OBLÍQUO - função sintática desempenhada por um grupo preposicional, adverbial ou oração coordenada. Ao contrário do complemento direto e do indireto, o complemento oblíquo não pode ser substituído por pronomes. Ex.: Os gatos de veludo olhavam para ele. * os gatos de veludo olhavam-lhe. Gustavo morava com as tias. * Gustavo morava-as. 

 

Crítica - Texto sobre um determinado sector da vida cultural -cinema, teatro, livros, pintura, televisão, arte, etc. -cuja função é informar com rigor e apreciar quer positiva quer negativamente.


Comparação - É um recurso expressivo que consiste em estabelecer uma relação de semelhança entre dois ou mais elementos através de uma palavra ou expressão comparativa.


 Corregedor - Juiz presidente de um círculo judicial; título que tinha antigamente o representante do rei em cada circunscrição administrativa (comarca) do País.


 

  Crioulo   - Que provém de países em que houve escravatura negra; diz-se do dialeto ou língua que resulta da evolução de uma língua de contacto entre colonizadores e povos autótones.


 

 Cruzada  - Expedição empreendida pelos cristãos, na Idade Média, que tinha como objetivo libertar os lugares santos, e designadamente Jerusalém, do poder islâmico.


 

Caracterização direta -Indicação das características de uma personagem de forma explícita e quase sempre através de adjetivos.

Tu és muito impulsivo, por isso pouco ponderado.


 

Caracterização indireta - Neste processo de caracterização é ao leitor que cabe a atribuição de características a uma personagem: por exemplo, atribuir a característica de ser persistente e corajoso, quando todos já desistiram e só uma personagem continua a tentar salvar alguém, mesmo correndo perigo.


 

Caracterização física -Nível de caracterização relacionado com a indicação de particularidades como altura, estatura, cor da pele e dos olhos, robustez física, etc.


 

Caracterização psicológica - Nível de caracterização relacionado com a indicação de particularidades como empenhamento, persistência, gosto pela comunicação, sentimentos, hábitos, tendência para o isolamento, etc.


 

.Caracterização social -Nível de caracterização que revela características relacionadas com profissão, estatuto económico, nível cultural, etc.


 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

D

 

Denotação - ver conotação


 

Derivação -  é um processo de formação de palavras que consiste em associar afixos a uma forma de base.

                    Afixal: Prefixação (Descontente), sufixação (Laranjeira), prefixação e sufixação (Ilegalmente), e parassíntese (amanhecer)

                    Não Afixal - Há um outro caso de derivação que consiste em formar nomes derivados de verbos, substituindo-se a terminação -ar, -er ou -ir do verbo por marcas específicas do nome (a, e ou o).

 

verbo

nome

verbo

nome

verbo

nome

cortar >

corte

perder >

perda

consumir >

consumo

 

Não houve junção de afixos à forma de base. Dizemos, por isso, que se trata de um processo de derivação não afixal.


 

Descrição  - Texto que representa pormenorizadamente um objeto, um lugar, uma época, um ser vivo (humano ou não).


 

Diálogo - Forma de discurso e modo de expressão literário em que o emissor e o recetor se alternam na comunicação das respetivas mensagens.


 

Didascália  - Indicação cénica, texto secundário, normalmente em itálico ou entre parênteses, referente ao cenário, aos gestos e movimentação das personagens, ao seu guarda-roupa, aos adereços, à iluminação, à música, etc.


 

Descrição -Modo de apresentação do discurso, utilizado para apresentar personagens, espaços, ambientes e objetos. As duas classes gramaticais predominantes na descrição são os substantivos para nomear e os adjetivos para caracterizar.

Ex. O silêncio da noite era enorme e as estrelas resplandeciam tranquilas e distantes!


 

Diminutivo -Forma que uma palavra assume para transmitir a ideia de diminuição. O nome passarinho está no grau diminutivo e obtém-se pela junção do sufixo -inho que indica carinho, afetividade. Outros sufixos para formar o grau diminutivo e sua significação:

            Pequenez: lobato, sineta, montículo, chuvisco, etc.

            Desprezo, desconsideração, depreciação: rapazito, papelucho, livreco, lugarejo, casebre, aldeola, etc.


 

Discurso direto -Reprodução fiel das falas de personagens ou pessoas. No texto escrito é usual surgir depois de dois pontos, parágrafo e travessão. Pode aparecer antecedido de um verbo declarativo como dizer, responder, perguntar, etc.

        Ex. Já conciliador; o amigo respondeu:

        -Tens razão. Eu acompanho-te.


 

Discurso indireto -Reprodução das falas de personagens por outra entidade, como o narrador ou outra personagem. Implica algumas transformações, sobretudo ao nível dos indicadores de tempo e espaço e também de pessoa verbal.

            Ex. A irmã disse que não ficava ali, nem mais um minuto.

            (correspondente discurso direto: -Não fico aqui, nem mais um minuto -disse a irmã.)

            A amiga prometeu-lhe que no dia seguinte a acompanharia ao cinema. (correspondente discurso direto:

        -Amanhã acompanhar-te-ei ao cinema -prometeu-lhe a amiga.)


 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

E

 

 

Encadeamento  - Técnica narrativa segundo a qual a ordem temporal dos acontecimentos é cronológica.


 

Encaixe  - Técnica narrativa segundo a qual uma ação secundária se introduz na ação principal.

 


Episódio   - Unidade narrativa na qual se narra uma ação autónoma relativamente à totalidade da narrativa em que se integra.


 

Epopeia  - Poema narrativo longo que narra e celebra um feito heróico de interesse nacional e universal, num estilo elevado e sublime.


 

Espaço  - Elementos físicos que servem de cenário ao desenrolar da ação e à movimentação das personagens.


 

Empréstimo - Palavra estrangeira adaptada ou adotada por uma língua.


 

Estrofe  - Conjunto de versos que forma uma unidade gráfica e possui, normalmente, um sentido completo. Cada um dos grupos de versos que compõem um poema lírico.


 

Estrutura externa  - «Forma» do texto literário; refere-se à disposição gráfica e também à divisão formal de um texto.


 

Estrutura interna  - Conteúdo de um texto ou divisão de um texto em partes lógicas.


 

 Étimo  - Palavra originária, na origem de outra.


 

Eufemismo - recurso expressivo que contribui, em algumas situações, para a comicidade. Consiste em suavizar a expressão de uma ideia ou realidade que é considerada violenta ou desagradável, substituindo a palavra empregue normalmente por outra mais agradável.


 

Espaço social -Ao caracterizar o espaço de realização de uma ação, podem ser apresentados elementos sobre o ambiente e as condições económicas das personagens.


 

Expressão idiomática -Conjunto de palavras de um idioma que adquire um sentido que ultrapassa as próprias palavras. Algumas expressões idiomáticas:

Andar na lua. (andar absorvido, confundido, enganado ou distraído)

Comer e calar. (ser maltratado e não se insurgir; resignar-se)


 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

F

Processo Fonológico  - Alteração de um som de uma palavra, que ocorre com o tempo. (Ver processos fonológicos)


 


 

Flexão - Processo de fazer variar as formas das palavras para exprimirem novas categorias gramaticais.


 

 Filologia  - Estudo crítico dos textos escritos de uma língua com o fim de discutir a sua autenticidade e significado e de estabelecer a sua forma original.


 

Fonema  - Unidade fonológica mínima distintiva; unidade menor do sistema fonológico de uma língua; do gr. phónema, «som da voz», pelo lat. phonéma.


 

 

Função sintática - Designação atribuída a uma palavra ou expressão, grupo frásico, que desempenha uma determinada função no todo de uma oração. Os elementos fundamentais de uma oração são o sujeito e o predicado.

    A criança chorou. (A criança: sujeito; chorou: predicado)

   


 

 

Funções da linguagem -A produção de um ato de fala ou de um texto tem sempre uma intencionalidade comunicativa que se pode expressar por verbos como informar, persuadir, comover, clarificar e contactar. A estes verbos correspondem, respetivamente, as funções da linguagem que a seguir se apresentam.

 

        .Função apelativa: o emissor tem como objetivo atuar sobre o recetor, dando uma ordem, fazendo um pedido ou sugerindo um comportamento.

Ex. Fecha a porta. Podes passar-me o pão? Hoje, os vigilantes (devem estar muito atentos.

        .Função expressiva: o emissor adiciona à mensagem elementos que deixam transparecer as suas emoções e estados de espírito.

Ex. O pianista fez uma atuação admirável. Valha-me Deus! Estou muito atrasado.

        .Função fática (de contacto): o emissor e o recetor estabelecem o ato comunicativo, com o intuito de assegurar o contacto.

Ex. -Então, novas?

-Nenhuma

-Não?

-Não, mesmo a sério.

-Está bem!

        .Função informativa: o emissor informa objetivamente sobre um acontecimento ou realidade.

Ex. A Terra é um planeta que faz o seu movimento de transladação em 365 dias.

        .Função metalinguística: o emissor dá uma explicação sobre o sentido de uma palavra, clarifica o sentido de um discurso, etc.

O dicionário regista uma grande variedade de sentidos para a palavra função. Apresenta significados relacionados com a Biologia, a Matemática, a Gramática, etc.


 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

G

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

H

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

Herói  - Personagem principal numa obra narrativa ou dramática que se destaca na luta contra a adversidade -dos homens, dos deuses ou dos elementos -, encarnando os valores positivos e respeitados de uma determinada sociedade ou época.

 

Hiperónimo  - Palavra de sentido mais geral que se relaciona com outras de sentido mais específico.

 

Hipónimo - Palavra de sentido mais específico que se relaciona com outra de sentido mais geral.

 

Homófona  - Palavra que se pronuncia da mesma maneira que uma outra, mas que se escreve de maneira diferente e não tem o mesmo sentido.

 

Homógrafa - Palavra que se escreve da mesma maneira que uma outra, mas se pronuncia de maneira diferente.

Palavras que apresentam a mesma grafia mas pronunciam-se de maneira diferente, tendo também um sentido diferente.

                            Tu sabias que no Brasil havia sabiás?

 

Homónima - Palavra que se escreve e se pronuncia da mesma maneira que uma outra, mas que não tem o mesmo sentido.

 

Hermenêutica - Interpretação dos textos da Bíblia

 

Hipérbato - O hipérbato é um recurso expressivo, a nível de sintaxe, que consiste na inversão da ordem habitual das palavras ou das frases

 

hipérbole  - É um recurso expressivo que consiste em referir-se a um ser, circunstância, sentimento ou objeto, exagerando os seus atributos.

 

Hífen  - Sinal auxiliar de escrita, como os acentos e as cedilhas, usado nas seguintes situações:

.Formação de algumas palavras compostas: couve-flor, amor-perfeito .Junção de certos prefixos: ex-combatente, vice-reitor.

.Conjugação pronominal: vestiram-se, leva-o.

.Translineação: le-/va-/va-/-o

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif 

 

 

I

 Imagem - Recurso expressivo patente na evocação viva de determinada realidade em que se procura recriar sensações principalmente visuais.

 

  Interrogação retórica -  Pergunta para a qual não é esperada resposta.

 

Interjeição - Classe de palavras que traduzem a expressão espontânea de sentimentos e emoções através de palavras como as destacadas nas frases:

Oh! Que espetáculo maravilhoso! (entusiasmo)

Ah! Que absurdo! (indignação e reprovação)

Olá! Tudo bem? (saudação)

Pst! Vem cá! (chamamento)

Outras interjeições: Uf!, á!, Irra!, Oxalá!, Bravo!, Vamos!, Homessa!, Silêncio!, Fora!, Safa!, Caramba!, etc.

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

J

 

 

Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif  Topo

 

 

L

Literário  - Classificação atribuída a um texto que revela determinadas características: ambiguidade e polissemia, ou seja, existência de diversos sentidos; linguagem figurada e expressiva; ficcionalidade ou presença do imaginário; subjetividade e, simultaneamente, universalidade da mensagem.

 

Léxico  - Vocabulário de uma língua; dicionário abreviado; vocábulos empregues por um autor; glossário de termos técnicos de uma área especializada;

 

Locuções interjetivas: - Expressão que têm uma função idêntica à de uma interjeição.

                                    Ai de mim! Meu Deus! Essa; agora! Deus queira! Muito bem! etc.

 

Locução adverbial - Expressão que têm uma função idêntica à de um advérbio.

                                    Fiz tudo por agora! (tempo) Vem por aqui! (lugar)

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

M

 

Maravilhoso - Manifestação ou intervenção do mundo sobrenatural, divino ou mitológico.

 

 O Modificador da frase: função sintática de  um grupo adverbial ou preposicional que pode ser suprimido, sem deixar a frase agramatical.

                                        Exprime opinião, dúvida ou certeza do falante.

 

O modificador do grupo verbal:  função sintática de  um  de um GPrep (ao fim do dia), de um GAdv (tristemente) ou de uma oração (quando o dia termina) que fornece informações de:

Tempo: (ao fim do dia)

Lugar (na rua)

Modo (tristemente);

 

Faz parte do predicado. Pode ser suprimido, sem deixar a frase agramatical

 

Modificador do nome - Surge, geralmente, à direita do nome que modifica, embora não seja exigido por ele (e por isso é que podemos retirá-lo sem que a frase fique agramatical). Pode ser:

Apositivo (não restringe a realidade referida pelo nome que modifica e surge isolado por vírgulas) ex. A nova lei, de interesse duvidoso, tem sido contestada.

Restritivo (restringe a realidade referida pelo nome que modifica, não podendo ser separado por vírgula.) ex. Ele escreveu uma história de amor.

 

Métrica  - Estrutura de um verso; a sua medida em sílabas, que pode ou não coincidir com a contagem das sílabas gramaticais.

 

Modo de expressão - Modalidade discursiva: diálogo e monólogo.

 

Modo literário - Designação mais corrente das três grandes categorias que podem distinguir-se na Literatura - a lírica, a narrativa e o drama. (Ver Texto literário/Alguns conceitos)

 

 Modo de representação - Modalidade discursiva: narração e descrição.

 

Monólogo - Variante do diálogo; é um diálogo interiorizado, em que o «eu»/ personagem se torna emissor (a entidade que fala) e recetor (a entidade que escuta). Através do monólogo, a narrativa exprime um discurso mental que acompanha as ideias e as imagens desenvolvidas no interior das personagens.

 

Moralidade - (moralitatis) - peça de teatro de conteúdo religioso, que põe em diálogo personagens alegóricas com finalidades didáticas.

 

Metáfora - É um recurso expressivo que consiste numa comparação, numa associação de elementos em virtude da sua semelhança sem o uso do elemento específico de comparação -“como”, “equivalente”, “parecido”, “semelhante”. ex. "Santarém é um livro de pedra"

 

Metonímia - É um recurso expressivo segundo a qual se substitui um termo por outro com o qual está em íntima relação.

 

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

 

N

Narração - Relato de acontecimentos e de conflitos, situados no tempo e encadeados de forma dinâmica, para originar a ação.

 

Narrador - Ser ficcional, que não deve ser confundido com o autor real que o cria. O narrador tem a função de enunciar o discurso; é ele quem transmite o mundo inventado ou recriado numa narrativa.

 

Neologismo  - Palavra nova ou que entrou recentemente na língua, para representar um novo objeto ou conceito.

 

Nasalação - Processo fonológico de alteração em que um fonema oral torna-se nasal por influência de um fonema nasal que se encontra próximo.

 

Notícia - Relato breve e verdadeiro de um acontecimento atual e de interesse geral.

 

Nomes - são palavras que designam pessoas, animais, coisas, ações, estados, qualidades, sentimentos. O nome é o núcleo do grupo nominal (Esta palavra é um nome comum). O nome é, frequentemente, precedido por um determinante ou por um quantificador.

 

Notação temporal -Toda a palavra ou expressão que dê uma indicação de tempo.  Ex. Acordou, sobressaltado a meio da noite.

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

O

Objetividade  - Característica discursiva em que o narrador se coloca numa posição de isenção, ou seja, limita-se a relatar os acontecimentos, sem integrar ideias ou pontos de vista pessoais.

 

Onomatopeia  - Palavra cuja pronúncia imita o som de um animal, um objeto, um fenómeno atmosférico, etc.

 

Opinião -Parecer sobre determinado assunto, podendo ou não ser sustentado por argumentos.

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

P

Parónima - Palavra que se escreve e se lê de forma semelhante a outra palavra, mas que tem significado diferente.

 

Personagem  - Ser ficcional que desenvolve a ação num texto narrativo ou dramático. Conforme a sua intervenção, a personagem pode ser principal, secundária ou figurante. Conforme a sua construção, a personagem pode ser modelada ou plana.

 

Profecia  - Modalidade específica de prolepse numa epopeia.

 

Prolepse  - Processo narrativo oposto à analepse, que consiste na narração de acontecimentos considerados futuros relativamente ao decorrer da ação.

 

Protagonista  - Personagem principal de um texto narrativo ou dramático. Trata-se da personagem em torno da qual a história gira e cujas ações determinam o desenvolvimento da ação.

 

Perífrase - É uma recurso que consiste em substituir uma palavra por uma expressão mais longa, indireta e descritiva. Os autores servem-se da perífrase quando pretendem chamar a atenção para as propriedades da entidade a que se referem.

 

Personificação  - É um recurso que consiste na atribuição de características próprias de pessoas a animais, coisas ou ideias. Isto é, consiste em atribuir qualidades, características ou atitudes humanas a outros seres.

        E com a sua face redonda, a Lua sorria para a Terra.

  

Polissíndeto   - Recurso expressivo que consiste na repetição intencional de elementos de ligação, as conjunções.

 

 Pronome pessoal  - Subclasse dos Pronomes. São pronomes pessoais: eu, tu, ele, nós, vós, eles, me, te, se, o, nos, vos, eles, mim, ti, lhe, lhes, comigo, contigo, consigo, connosco e convosco.

 

Pronome relativo - Subclasse da categoria dos Pronomes. São pronomes relativos: que, quem, (o/a) qual, quanto.

        Quem cala consente.

            Eu já pendurei o quadro que me ofereceste.

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

Q

 

 

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

R

Registo de língua - Expressão equivalente a nível de língua; utilização que cada falante ou grupo de falantes faz da língua.

 

Réplica  - Fala de uma personagem num texto dramático. Pode ser diálogo, monólogo ou aparte.

 

Resumo  - Versão reduzida de outro texto, sem alteração de sentido ou de estrutura.

Redução de um texto aos seus aspetos mais importantes, obedecendo à organização do texto-base. Normalmente, num resumo reduz-se para um terço ou para um quarto o número de palavras do texto-base. )

 

Retrato  - Descrição de uma pessoa ou personagem.

 

Rima  -Correspondência de sons em determinados lugares dos versos.

 

Radical  - Parte invariável de uma palavra; raiz.

 

Recurso expressivo  - ( ou figuras de retórica) toda a forma de expressão que intensifica o sentido de uma mensagem.

 

Retrato -Conjunto das características de uma determinada personagem. Pode contemplar traços físicos, psicológicos e sociais.

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

 

S

Sátira - é um tipo de texto, por vezes em verso, que ridiculariza os vícios ou defeitos de uma época, de uma instituição ou de uma pessoa, de forma mordaz, sarcástica.

 

Sequência  - Momento da ação com unidade.

 

Simbólico - Sentido ou valor figurado, não real.

 

Sinónimo  - Palavra cujo significado é igualou muito semelhante ao de outra palavra.

 

Subjetividade  - Característica discursiva em que o narrador declara ou faz adivinhar a sua posição, de adesão ou de recusa, relativamente aos acontecimentos e/ou às personagens, através de comentários, por exemplo.

 

Semântica - Parte da Linguística que se ocupa da significação das palavras e da evolução do seu sentido.

Semiótica - Estudo das mudanças que a significação das palavras, como sinais das ideias, sofre no espaço ou no tempo.

Síncope - Processo fonológico de  de supressão de um fonema no meio da palavra.

Sinédoque - É um recurso expressivo em que se emprega o nome do todo pela parte ou da parte pelo todo, do plural pelo singular ou do singular pelo plural, etc.

Sintaxe - Parte da gramática que trata da combinação das palavras na frase.

Sinal de pontuação -Elemento utilizado no texto escrito que substitui as pausas e a entoação que se utilizam na linguagem oral.

Os principais sinais de pontuação são: a vírgula, o ponto, o ponto e vírgula, os dois pontos, as reticências, o ponto de interrogação e de exclamação, o travessão, as aspas e os parênteses.

 

Sinónimo - Palavra cujo sentido é equivalente ao de outra num determinado contexto.

                Ex. O João é um aluno aplicado. / O João é um aluno dedicado, estudioso.

 

Sintetizar - Retirar dum texto os seus aspetos mais importantes, com maior liberdade na ordenação das ideias do texto original.

 

 

Sujeito - Designação atribuída a uma palavra ou expressão que designa a entidade que desempenha a ação ou sobre a qual se diz algo. Os elementos fundamentais de uma oração são o sujeito e o predicado.

A criança chorou.

(A criança desempenha a ação.)

A criança é bonita.

(A criança é a entidade sobre a qual se diz algo.)

O Sujeito - Função sintática de uma palavra ou expressão que, na oração, realiza a ação (voz ativa) ou sofre a ação (voz passiva). No caso dos verbos copulativos, é a entidade sobre a qual se diz alguma coisa.

                        Ex. O Pedro está doente.

                   As crianças fazem sempre muitas tropelias. (sujeito da voz ativa)

                   Muitas tropelias são sempre feitas pelas crianças. (sujeito da voz passiva)

 

Esta função pode ser exercida por um ou vários nomes ou um ou vários pronomes -simples ou composto.

 

.Sujeito simples: O sujeito é constituído apenas por um elemento. Ex. Os meus amigos italianos vêm em Setembro.

 

.Sujeito composto: - O sujeito é constituído por mais do que um elemento. Ex. Eu e os meus amigos costumamos sair todas as sextas-feiras.

 

.Sujeito nulo indeterminado: O sujeito existe, mas não é possível precisá-lo. Ex. Hoje em dia compra-se muita coisa inútil!

 

.Sujeito nulo expletivo/inexistente:  Há orações em que não existe sujeito. Ex. Chove a cântaros!

 

.Sujeito nulo subentendido: O sujeito nem sempre está presente na oração. Só o contexto e a pessoa verbal é que nos permitem encontrá-lo.

                                                                                                                Ex. Vamos passear? (nós)

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

T

Teatro  - Segundo Aristóteles, trata-se da «imitação» dos «homens em ação». É a representação de um texto dramático.

 

Tema - Ideia ou conceito, com carácter universal, normalmente definido por um nome abstrato (o amor, a saudade, o ciúme, etc.), que se manifesta ou desenvolve num texto.

 

Tempo  - Corresponde à sucessão dos momentos, de acordo com a sua contagem {minutos, horas, dias, semanas, meses, anos, séculos, etc.). Numa narrativa, podem distinguir-se vários tipos de tempo: cronológico, psicológico e histórico, entre outros.

 

Texto de opinião - Texto argumentativo, ou seja, texto que expressa uma opinião.

 

Texto dramático - Texto que se destina, fundamentalmente, ao teatro.  É constituído pelas réplicas das personagens e pelas didascálias.

 

Texto explicativo - Texto que expõe conhecimentos rigorosamente investigados, sobre um determinado tema, procurando explicá-los.

 

Texto narrativo - Texto que conta acontecimentos ou experiências conhecidas ou imaginadas. Uma narrativa apresenta uma ação, situada num determinado espaço e num determinado tempo, praticada por personagens, que é transmitida por um narrador .

 

Texto poético - Texto que exprime o Eu do poeta, comunicando sentimentos e ideias sobre o mundo e a vida.

 

Texto publicitário - Texto que influencia, através de uma informação sedutora e persuasiva sobre um produto ou um serviço, para desencadear o consumo.

 

Tipo - Personagem plana que pretende representar um grupo social ou profissional. O seu comportamento não o individualiza, dado que o objetivo é expressar as qualidades e/ou os defeitos do conjunto a que pertence.

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

U

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

V

 

Verso - Cada uma das linhas de uma composição poética.

 Verosimilhança - Qualidade do que é verosímil; que parece ser verdadeiro; provável; em que não repugna acreditar; plausível; crível.

 

Vocativo - Palavra ou expressão que serve para chamar. Função sintática que designa numa frase a pessoa ou realidade a que nos dirigimos. Surge sempre entre vírgulas ou separado por uma vírgula do resto da frase, se estiver em início ou fim de frase.

                                                                                    Meninos, acabou o recreio!

 

Verbo copulativo - Verbo que indica o estado em que o sujeito se encontra. O seu sentido é sempre completado pelo predicativo do sujeito. Os principais verbos copulativos são ser, estar, ficar, parecer.

O Luís ficou cá. / Eu hoje estou muito contente. / A irmã parece muito crescida.

 

Vírgula - Sinal de pontuação que corresponde à pausa de menor duração.

O seu uso é obrigatório no isolamento de um vocativo, de um aposto, numa enumeração, numa oração relativa explicativa e a isolar uma oração intercalar.

Ó Luís, anda cá! (vocativo)

D. Carlos, o último rei de Portugal, foi assassinado. (modificador do nome apositivo)

Pode ser utilizada para separar modificadores, certas orações adversativas e conclusivas:

Ex. O Sol, no Verão, nasce mais cedo.

Tenho, mas não te posso emprestar:

Tenho algum tempo livre, portanto vou ao cinema.

O seu uso é incorreto entre um sujeito e um predicado ou entre um verbo e o seu complemento direto e/ou indireto ou predicativo do sujeito.

 

Voz ativa - Designa o comportamento do sujeito perante a ação. Na voz ativa o sujeito pratica a ação.

                                Ex. A Mariana transpôs o muro de um salto.

 

Voz passiva -     Designa o comportamento do sujeito perante a ação. Na voz passiva o sujeito sofre a ação que é praticada por um agente da passiva.

Ex. O muro foi transposto pela Mariana de um salto.

Nota: A voz passiva só se concretiza com verbos transitivos.

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

X

 

 

 

Topo  Descrição: C:\Users\toshiba\Documents\disco_f\Novas_Tecnologias\websiteportugues\espacomais\glossario_da_lingua_portuguesa\images\top.gif

 

 

 

Z

 

 

 

 

 

 

Topo

 

 

FIM