Inês de Castro

 

Proposta de trabalho orientada

 

Introdução Tarefa Processo Recursos Avaliação Conclusão 

 

Introdução:

Episódio de Inês de Castro em Os Lusíadas

( Canto III, 118 a 135)

O episódio de Inês de Castro, relativamente à estrutura interna d'Os Lusíadas, insere-se  no Plano da História de Portugal e surge na narrativa efectuada, por Vasco da Gama ao Rei de Melinde, ao ser narrada a História do reinado de D. Afonso IV. 

Inês de Castro   era uma das damas castelhanas que vieram no séquito de D. Constança, aquando do seu casamento com D. Pedro, herdeiro da coroa portuguesa. Entre ambos surgiu uma grande paixão, muito temida pela infuência que podia exercer, porque Inês pertencia a uma poderosa família da nobreza castelhana.

O idoso e orgulhoso D. Afonso IV não podia tolerar esta influência, que se dizia existir,  por parte da família de Inês de Castro, sobre D. Pedro , o futuro Rei de Portugal, acabando por ordenar a sua morte.

Este é um dos mais célebres episódios da nossa História e é um dos mais recordados por escritores nacionais e estrangeiros. A "Linda Inês" ultrapassou as nossas fronteiras, existindo muitas obras, em prosa e em verso, em teatro e em cinema, na ópera, no bailado e na pintura, o que prova a paixão exercida, pelo tema, sobre poetas historiadores, músicos e artistas plásticos.

 Justifica-se, pois, o interesse, que vamos colocar no estudo deste episódio, dos mais conhecidos d' Os Lusíadas quanto mais não seja para apreciarmos, nós também, os moldes em que foi cantado pelo nosso grande épico.

[início]

A tarefa:

Este trabalho destina-se aos alunos das turmas do 9º A e do 9º E e passa por uma pesquisa, em grupos, cujo resultado vai ser apresentado na aula e assim distribuída:

Contextualização histórica (1º grupo).

Sequências narrativas que estruturam o episódio (2º grupo).

Aspectos estilísticos mais relevantes (3º grupo).

Comparação das características do episódio com as da tragédia grega (4º grupo).

Os amores Pedro e Inês em autores portugueses ( Miguel Torga, Bocage, Ary dos Santos) (5º grupo).

O tema do amor contrariado: Romeu/ Julieta, ( pequeno resumo ) (6º grupo).

[início]

O processo

Para elaborares o trabalho deverás começar por:

Planificar as tarefas que cada elemento do grupo vai desenvolver;

Recolher informação em livros, revistas e Internet;

Conversar com pessoas ligadas à área que vais desenvolver (professor de História, de Português, pessoas ligadas ao Teatro, à Música, às Artes...);

Preparar o resultado final, isto é,  a forma como vais apresentar o teu trabalho;

Ser criativo.

[início]

Os recursos

Amélia Pinto Pais (1994) Os Lusíadas.Areal Editores

José Mattoso, História de Portugal, II volume,Círculo de Leitores.

 Materiais de Apoio ao Ensino do Português, Ministério da Educação, Glossário de Termos Literários.

www.portalcen.org/bv/estudante/inesdecastro.pdf.

www.vidaslusofonas.pt/inesdecastro.htm

www.estagioesdica.no.sapo.pt/poesia/htm

www.omni.isr.utl.pt/htm

www.citi.pt/cultura//lirteratura/poesia/ary_dos_santos/ary_htm

www.eb1-nt.setubal.rcts.pt/biografia.htm

www.instituto-camoes.pt/bases/literatura.htm

www.paralerepensar.com.br/shakespeare.htm

Pedro e Inês

[início]

Avaliação

O grau de participação nas actividades será avaliado com base nos seguintes critérios:

5

Participou activamente nas actividades, cooperando com o grupo. Discutiu de forma séria e profunda com os/as colegas sobre os temas propostos. Trouxe informações importantes para a discussão. O resultado de sua actividade foi relevante e criativo.

4

Participou nas actividades, cooperando com o grupo. Discutiu com os/as colegas sobre os temas propostos. O resultado de sua actividade foi bom.

3

Participou pouco nas actividades. A sua contribuição para a discussão e o trabalho foi regular.

2

Esteve presente mas não há registo da sua contribuição para a discussão e trabalho.

1

Não participou na actividade.   

 As apresentações serão avaliadas com base nos seguintes critérios:

5

A apresentação trouxe várias contribuições relevantes para a discussão. A argumentação foi muito bem desenvolvida. Foi uma apresentação relevante e criativa.

4

A apresentação trouxe várias contribuições relevantes para a discussão. A argumentação foi bem desenvolvida. Foi uma apresentação correcta.  

3

A apresentação trouxe algumas contribuições relevantes para a discussão. A argumentação foi desenvolvida de forma razoável. Foi uma apresentação parcialmente correcta.

2

A apresentação trouxe poucas contribuições relevantes para a discussão. A argumentação não foi desenvolvida de forma razoável. Foi uma apresentação insuficiente.

1

A apresentação não trouxe contribuições relevantes para a discussão. A argumentação foi mal desenvolvida. Foi uma apresentação insuficiente.

Conclusão

  Através do trabalho efectuado pelos diferentes grupos, concluímos que o tema da Morte de Inês de Castro tem sido perpetuado, ao longo dos tempos.

É um dos mais belos episódios d'Os Lusíadas ao qual Camões soube dar um dimensão épica, lírica e dramática. O autor compara a sua morte a  outras ocorridas na antiguidade e, de forma extremamente imaginativa, diz-nos que a morte de Inês de Castro, ainda hoje é chorada, através das lágrimas das ninfas na Fonte dos Amores, existente na Quinta das Lágrimas em Coimbra.

Outros poetas golasaram este tema, tendo o presente trabalho explorado textos de Ary dos Santos, Bocage e Miguel Torga.

Diferentes manifestações estéticas o têm igualmente celebrado, em Portugal e no estrangeiro, aparecendo Inês de Castro entre as personalidades mundiais mais referenciadas.